Jejum e auto-flagelo


Quase sempre em contato com os irmãos católicos me deparo com o assunto do auto-flagelo, ou silício, o qual sempre fazem comparação com o JEJUM como um meio de mortificação.

Assunto em voga ultimamente em meu meio.

Acontece que a diferença básica, e essencial é que o JEJUM é bíblico já o auto-flagelo não tem amparo bíblico, e a desculpa que sempre dão é que por ser um tipo de mortificação é válido.
O grande problema está no foco desta prática, pois em tese, é um meio de justificação à carne pecaminosa,

portanto um tipo de semipelagianismo ( não o é mas é uma prática aparente), ou seja, onde o indivíduo é a peça importante na salvação e esta salvação é dependente do homem, que deve aceitar e cooperar com esta salvação.

Desta forma nega-se a GRAÇA de Deus, o sacrifício de Jesus na cruz,pois Seu sacrifício foi perfeito, não necessitando mais de sacrifícios cruentos

Muitas vezes frustrada-mente usam o texto de I Coríntios 9:27 como justificativa de tal prática afirmando que o apóstolo Paulo praticava tal ato, acontece que pegam o trecho isolado sem analisar seu contexto, portanto peguemos uma Bíblia católica da editora Paulus:
I Cor 9: 24 Vocês não sabem que no estádio todos os atletas correm, mas só um ganha o prêmio? Portanto, corram, para conseguir o prêmio. 25 Os atletas se abstêm de tudo; eles, para ganhar uma coroa perecível; e nós, para ganharmos uma coroa imperecível. 26 Quanto a mim, também eu corro, mas não como quem vai sem rumo. Pratico o pugilato, mas não como quem luta contra o ar. 27 Trato com dureza o meu corpo e o submeto, para não acontecer que eu proclame a mensagem aos outros, e eu mesmo venha a ser reprovado.

fonte: Bíblia PAULUS
http://www.paulus.com.br/BP/_PZB.HTM

Notemos os paralelos usados por Paulo para evidenciar o modo de pregação do evangelho, as analogias com a prática desportiva grega (PUGILATO), sem se valer ainda de versículos anteriores que exaltam estes paralelos onde o apóstolo Paulo se fez de judeu, gentio, escravo tudo para pregar o evangelho, portanto o TRATAR COM DUREZA O CORPO está dentro do contexto do desportista, onde inclusive seu corpo faz parte integral na missão evangelista.

O problema está no mote, onde tentam impor uma punição ao corpo pecador, sendo que a ótica desde sempre foi a entrega e humilhação ao Senhor, e não punição.

Abraços

Um comentário sobre “Jejum e auto-flagelo

  1. Realmente. Josué não se auto flagelava. Era o próprio flagelo, para homens, mulheres e crianças que encontrava pelo seu caminho. Amparado por quem? Por Deus? Não é possível! Há alguma coisa errada em tudo isso. Persebo que em toda a Bíblia somente Jesus falava em amor, no mais é guerra, assassinatos em massa, terror, medo. Muitos assassinos a exemplo de Paulo, Moisés, Josué, Davi, Salaomão (além de assassino ardiloso e traidor).
    A desilusão com a Bíblia é grande quando a lemos e entendemos, como seres conscientes. Eu li quando tinha dez anos, com coração de quem tinha dez anos. Mas hoje é muito diferente!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s